O papel das ligas acadêmicas na graduação em medicina

Antes de refletirmos sobre o papel das ligas acadêmicas na graduação dentro da faculdade de medicina, é necessário que saibamos o que é uma liga, como é estruturada e quais são seus objetivos.

Uma liga acadêmica é uma associação civil e científica que, dentro de cada instituição de ensino, tem como principal objetivo complementar a formação médica fornecida nas atividades currículares regulares acerca de determinada área do campo médico. Para isso, as ligas se estruturam tendo como base o tripé universitário, que envolve necessária e conjuntamente o ensino, a pesquisa e a extensão, de modo que dentro de cada uma das ligas os alunos possam não só obter conhecimento passivamente, mas também produzí-lo e transmití-lo a comunidade acadêmica e a população como um todo. Dessa forma, as ligas se tornam parte muito importante na formação do aluno de medicina.

Contudo, devido aos mais diferentes tipos de influências, algumas ligas se desviam de seus objetivos iniciais que acabam sendo ignorados, prejudicando o aprendizado de todos os integrantes. Existem algumas que funcionam somente em função do certificado de participação ou de coordenação das ligas, que rendem pontos para o processo de ingresso na residência e outras atividades. Dessa forma, não há interesse no aprendizado em si, levando ao desenvolvimento de atividades muito pouco enriquecedoras e ao enfraquecimento gradativo da estrutura da liga. Outro exemplo do desvirtuamento do propósito das ligas é quando uma liga toma para si a tarefa de ensinar ao aluno um tema que deveria ser ensinado na graduação mas não é. Isso acaba trazendo para a liga uma responsabilidade que não é dela, além de tornar o que deveria ser conhecimento comum de todos os alunos da faculdade exclusividade dos membros. É como tampar o sol (no caso os problemas curriculares da faculdade) com uma peneira, ao invés de reestruturar o curso e solucionar a falha definitivamente.

As ligas acadêmicas, portanto, são elementos importantíssimos e indispensáveis na graduação em medicina, sendo um meio de transmissão e captação de conhecimentos sobre as mais diversas áreas da profissão e da formação médica no geral, e por isso devem ser geridas por seus coordenadores com cuidado e dedicação para que não e desviem do seu principal objetivo e se tornem meras fábricas de certificados ou “muletas” para a graduação.

Pin It

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *