A cultura e a política

Movimentos sociais e culturais podem se relacionar, uma vez que a luta política é perpassada por questionamentos aos códigos culturais dominantes. Os movimentos sociais, em uma visão ampla, buscam modificar a realidade em que estão inseridos e quebrar a tradição hierarquizada. Dessa forma, acabam por criar um novo conceito de sociedade e muitas vezes uma nova forma de inserção cultural.
A década de sessenta foi marcada por movimentos sociais e políticos, que produziram movimentos culturais marcantes. Nos EUA, o movimento hippie tinha como base o questionamento à guerra do Vietnã, pregava “Paz e Amor” e se caracterizou por ser um movimento de contracultura e extremamente difuso. Apesar disso foi um movimento cultural forte e trouxe um questionamento fundamental sobre o modelo norte-americano de incentivo à indústria bélica e do uso da força militar em detrimento da busca do diálogo entre os povos.
No Brasil, o movimento musical iniciado na década de sessenta baseado em canções de protesto, satirizava e criticava as classes dominantes, o mito do desenvolvimento e a dominação estrangeira, além de contestar a censura e a repressão. Essa forma de manifestação cultural foi vista como engajamento político e forma de luta, no entanto devido ao AI-5 muitos compositores desse tipo de musica foram exilados ou silenciados, assim o movimento enfraqueceu-se. Entretanto, na década de oitenta com a maior abertura política ocorreu a volta de muitos exilados e as canções de protesto voltaram a ser atuantes. A música-símbolo desse movimento foi “Pra não dizer que não falei das flores”, de Geraldo Vandré. Essa música era invocada em protesto e representava a luta por uma sociedade mais justa e democrática. Até hoje as canções de protesto estão presentes e são símbolos da luta política, é impossível não lembrar de Chico Buarque de Holanda, Edu Lobo, Carlos Lyra, Adoniran Barbosa, Gilberto Gil e outros cantores e compositores, como agentes da luta em um país opressor.
Hoje, a luta não é mais contra a ditadura militar, mas contra uma sociedade com preconceitos e diferenças sociais discrepantes. Assim, outras formas de manifestações culturais apareceram, como por exemplo, o hip-hop que busca através da música e poesia mostrar os anseios, preocupações e problemas das classes oprimidas. Essa expressão cultural caracterizada, não só pela música, como pela dança e grafite, ainda sofre rejeição e preconceito. Apesar de, assim como as músicas de protesto, ter como objetivo a criação de laços políticos e sociais . Dessa forma, nota-se que cultura e manifestações e andam juntas e buscam modificar o seu contexto social.
Pin It

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *